JÚRI DO AUTOR DA MORTE DE LÉO BARROS (LÉO GORDO) SERÁ REALIZADO NESTA QUARTA-FEIRA…

Lucas José, hoje tem 26 anos.

É esperado com grande expectativa o julgamento de Lucas José Lacerda Santana, 26 anos, acusado de assassinar com dois tiros o empresário Leandro Ferreira Barros (Léo Gordo), de 29 anos, na noite do dia 24 para o dia 25 de julho de 2011, há exatamente 07 anos. 

Lucas José responde ao processo em liberdade desde o mês de janeiro de 2012, sendo que ele ficou preso por cerca de seis meses, até que o Tribunal de Justiça da Bahia acatou recurso da defesa que entrou com Habeas Corpus. O júri popular foi adiado por três vezes por motivos justificados desde 2014, mas de acordo com o tribunal do Júri, estará acontecendo nesta quarta-feira, 15/08, a partir das 08:00hs da manhã, no Salão do Tribunal do Júri no fórum local.

De um lado, familiares do réu que esperam por um resultado favorável, tendo em vista que o autor encontra-se em liberdade. Do outro, familiares e amigos da vítima que há sete anos clamam e esperam por justiça. Na época do crime, o autor alegou legítima defesa.

O crime aconteceu na noite do dia 24 para o dia 25 de julho do ano 2011, na estrada de acesso ao Parque de Exposições, localidade conhecida como estrada de dona Naná. O corpo de Leandro Barros foi encontrado no interior do veículo  Corsa Classic modelo 2011, cor prata, de propriedade da mãe da vítima, com duas perfurações de arma de fogo, inclusive na cabeça.

Essa foi a versão apresentada por Lucas José Lacerda de Santana, de 19 anos à época, hoje com 26 anos, ao se apresentar ao Delegado Titular, Roberto Júnior, na manhã de segunda-feira (01 de agosto de 2011), acompanhado de dois advogados.

Inicialmente, ele contou, em interrogatório, como tirou a vida de Leandro Ferreira Barros, de 29 anos, na noite de 24 de julho, um domingo, na estrada que dá acesso à Fazenda de Dona Naná, nas imediações do Parque de Exposições Juvino Oliveira. Disse, ainda, que depois do crime saiu da cidade.

O crime passou a ser investigado pela DHPP, divisão criada na Delegacia Territorial de Itapetinga para a apuração de crimes contra a vida, movimentando todos os policiais da equipe do delegado Roberto Júnior, pois se sabia que seria um crime difícil de ser apurado, mas não impossível de ser elucidado.

As primeiras investigações apontaram para um suspeito: um rapaz de cor branca, que usava boné e que no dia do homicídio teria estado na companhia de “Léo Gordo”, em boa parte do dia, dentro do seu carro. Esse rapaz, de acordo os investigadores, seria a pessoa de Lucas, um jovem que residia no Bairro São Francisco e que no dia seguinte ao homicídio não mais foi visto na cidade.

Na segunda-feira (01/08/2011), finalmente o crime foi elucidado pela Polícia Civil, com a apresentação de Lucas José Lacerda de Santana.

Em princípio, ao delegado, ele disse que realmente esteve com a vítima, mas que não teria cometido o homicídio, mas diante do rol de provas apresentado no Inquérito Policial, que conta com dezenas de páginas, Lucas acabou por confessar que fez dois disparos contra o corpo de “Léo Gordo”, ceifando a sua vida dentro do seu próprio carro.

Lucas relatou, ainda, de que somente matou “Léo” porque foi ameaçado de morte por ele: Após ouvir a versão de Lucas, o delegado Roberto Júnior solicitou ao DPT de Itapetinga a perícia de Reprodução Simulada dos Fatos (reconstituição).

RECONSTITUIÇÃO:

Os delegados Marcus Vinicius, coordenador, Roberto Júnior, delegado titular, o Promotor de Justiça, José Junseira Almeida de Oliveira, investigadores, escrivães, agentes públicos, a equipe do DPT, guardas municipais e agentes da Comutran se dirigiram ao local onde ocorreu o crime. Lá, o homicida contou passo a passo tudo o que ocorreu:

Policiais civis e peritos do DPT de Itapetinga no local do crime acompanhando a reconstituição em que o réu se fez presente.
Local do crime onde foi realizada reconstituição…
A imagem pode conter: 1 pessoa
Foto da vítima Leandro Ferreira Barros (2011), ano em que foi assassinado.

 

 

 

 

 

Deixe seu comentário