MAIORIA DOS BRASILEIROS DEFENDE QUE A VACINA CONTRA COVID-19 NÃO DEVE SER OBRIGATÓRIA…

O instituto Paraná Pesquisas entrevistou 2.206 brasileiros, entre os dias 12 e 16 de dezembro, e perguntou se a vacina contra a Covid-19 deveria ou não ser obrigatória. A maioria, 52% dos entrevistados, defendeu a não obrigatoriedade, enquanto 46% disseram ser a favor de que seja obrigatória e 2% não souberam ou não opinaram. O empate técnico, no limite da margem de erro (3%), ilustra a divisão do Brasil quanto ao tema.
Entre os que são contra a obrigatoriedade, se destacam os seguintes segmentos: homens (56,2%), idosos (55,3%), pessoas com ensino superior (55,7%) e moradores da região sul do país (56,4%).
Por outro lado, mulheres (49,7%), pessoas entre 16 a 24 anos (53,9%) e moradores das regiões norte e centro-oeste do Brasil (49,4%) são os únicos segmentos que defendem a obrigatoriedade da imunização contra o novo coronavírus.
O Paraná Pesquisas também indicou que 60,9% dos brasileiros perguntados têm medo de que a vacina provoque efeitos colaterais, enquanto 36,1% não temem qualquer consequência negativa diante do imunizante. Não souberam ou não opinaram, 3%.
CORONAVAC
A pesquisa perguntou ainda se os entrevistados tomarão a “vacina chinesa” (Coronavac) caso ela seja aprovada. A maioria, 62,4%, respondeu que sim, com destaque para os mais jovens, entre 16 e 24 anos, com 72,1%.
Outros 33,5% dos entrevistados responderam que não tomarão a Coronavac, mesmo que aprovada. Entre eles, se destacam os segmentos dos mais velhos, a partir dos 60 anos (41,2%), e dos homens (36,7%). Não souberam ou não opinaram, 4,1%.
O instituto também perguntou qual governante tem razão na discussão acerca da aprovação da “vacina chinesa”: o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), que é resistente à aplicação da Coronavac no Brasil; ou o governador de São Paulo, João Dória (PSDB), que defende o uso imunizante. Enquanto 43,3% dos entrevistados dão razão ao chefe de estado brasileiro, 38,7% dá razão ao governante paulista, apresentando um empate técnico. Um total de 18% não souberam ou não opinaram.
CONFISCO
O Paraná Pesquisas perguntou ainda se o entrevistado é a favor ou contra o confisco, por parte do governo federal, de vacinas produzidas ou importadas pelos estados e municípios, para que a distribuição fique a cargo do Ministério da Saúde. Os brasileiros também se mostram bem divdidos quanto ao tema.
Enquanto 46,6% são a favor do confisco, outros 47,7% são contra. Não souberam ou não opinaram, 5,7%. O debate, que também faz parte do embate político entre Bolsonaro e Dória, envolve também outros governadores, que solicitam uma distribuição igualitária das vacinas pelo país. Portal Bahia Notícias 
Compartilhe esse Post!

Sobre Sizinio

Natural de Itapetinga, Evangélico, Casado com Cris Sousa de Sá, Radialista / Locutor Noticiarista / Repórter Policial há 24 anos. Trabalhou na Rádio Fascinação durante 13 anos - como âncora do Programa NA BOCA DO POVO. Teve passagem nas Rádios Cidade FM e Jornal AM, foi Agente Público (Administrativo) da DT de Itapetinga (Delegacia Territorial) até 2016... Líder Comunitário, Presidente do Conselho Comunitário de Segurança Pública, presidiu a Federação dos Conselhos Comunitários de Segurança Pública do estado da Bahia no Território Médio Sudoeste, presidiu por três anos a Coordenação Municipal de Defesa Civil de Itapetinga (COMDEC), foi membro do Conselho Penal da Comarca de Itapetinga, presidiu a Associação de Moradores da Nova Itapetinga (AMONI), foi por dois anos, Assessor de Comunicação da SIBI (Segunda Igreja Batista de Itapetinga - período 2017/2019) e é um dos Editores do Itapetinga na Mídia... Contato: Whatsapp (77) 98805-6791 E-mail: reportersizinio@gmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *